A era do modo “startup”

19/10/2016

startup-divulgar

A era do modo “startup” chegou e parece que não irá embora tão cedo, se é que chegará a ir algum dia.

Esse modo muda toda a lógica de criação e gestão de valor e de negócios no nosso mercado.
A crise estrutural na forma de lidar com o marketing, mudança nos hábitos de consumo de mídia, novos modelos de produção conteúdo, necessidade de reinventar a publicidade, já vinha se desenhando há anos, mas acelerou ainda mais com a chegada da crise financeira.
Na era da comunicação digital e das redes sociais, produto nenhum que seja ruim, é salvo por publicidade e em contrapartida, produto bom de verdade, não precisa dela.

Num passado, não muito distante, falar em “startup” era fazer referência a empresa recém-criada, cheia de meninos deslumbrados e esquisitos, tentando inventar alguma coisa doidos, nova, prontos para ganhar o primeiro bilhão, num passe de mágica.

Algumas startups realmente possuem apenas 5 funcionários e poucos meses de vida. Mas outras possuem milhares de colaboradores e estão no mercado há mais de 15 anos, faturando milhões e milhões de reais/mês.

Dizer que uma empresa de 15 anos é uma startup, é forçar muito a barra. Depois desse tempo todo, ela não é mais uma startup, mas ela pode operar em modo startup.

Operar em modo ‘startup’ é um comportamento. Uma forma de buscar se reinventar rapidamente em busca de soluções para problemas reais. É não ficar parado frente à crise ou as mudanças que muitas vezes tiram o nosso chão.

Nessa nova era do modo ‘startup’, as velhas fórmulas não funcionam mais. A todo momento surgem modelos de negócio completamente novos, que rompem com tudo existente. E o que entendíamos como marketing virou de cabeça pra baixo. Levar um novo produto ou serviço para o mercado pode se dar de mil maneiras diferentes.

Essa quebra de modelos já condenou as denominações existentes e agência não é mais agência, apesar de se chamar assim e passa a cuidar de negócio, experiência, conteúdo. Tudo misturado na fórmula para encontrar a solução para os problemas. Os modelos de trabalho são os mais variados. Consultivo, colaborativo, terceirizado, interno. Erra-se muito procurando os novos modelos. Mas erra-se e corrige-se e assim, nos reinventamos, descobrimos outras tantas boas soluções.

A necessidade de reinvenção é tão grande em tantas frentes, que o modo startup não deveria mais ser considerado um estágio pela qual uma empresa passa e sim um modo de encarar a vida, seja pelas empresas, indivíduos e, por que não, governos, países, mundo.

Fonte: Meio e mensagem



Tags: Dicas

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com