VOCÊ SOFRE DE ANSIEDADE SOCIAL?

04/07/2017

fobia-social

 

A ansiedade social é considerada um distúrbio psicológico e é bastante comum em ambientes de trabalho. Quem sofre desse mal, sabe que ouvir de um colega a frase: “fica tranquilo, vai dar tudo certo” não é uma garantia de que isso irá realmente acontecer e a angústia pelo medo de ser julgado de forma negativa pelos outros, o constrangimento ao falar em público, tornam-se companhias nada agradáveis.

Mas, segundo um estudo realizado pela professora de psicologia Meagan MacKenzie, da Universidade Ryerson em Toronto, no Canadá, existe uma alternativa mais eficaz de lidar com os momentos em que a ansiedade aparece com tudo.

No estudo, foi possível definir as escalas que a ansiedade pode ter, e assim, entender como lidar com cada uma delas. Segundo os pesquisadores envolvidos, na maior parte das vezes, ela é tratada da perspectiva cognitiva comportamental. Entretanto, eles acreditam que o tratamento pode ser melhor para alguns pacientes se aprenderem a identificar o que sentem e a lidar com isso — um processo conhecido como Terapia de Aceitação e Comprometimento (ACT, em inglês).

Quer saber se você sofre desse mal?

Abaixo, foram definidas oito etapas da ansiedade social e cada uma delas deve receber uma nota de um (nunca acontece) a sete (sempre acontece). Pronto pro teste?

1 – Ter ansiedade social faz com que seja difícil para eu viver uma vida que valorizo.

2 – Eu digo a mim mesmo que não deveria ter alguns pensamentos sobre ansiedade social.

3 – Eu sacrificaria coisas importantes da minha vida para poder parar de ser socialmente ansioso.

4 – Me critico por ter uma ansiedade social que é inapropriada e irracional.

5 – Minha ansiedade social precisa diminuir antes que eu tome passos importantes na minha vida.

6 – Fico julgando se meus pensamentos sobre ansiedade social são bons ou ruins.

7 – Minha ansiedade social não interfere com a forma que vivo minha vida.

8 – Não gosto de mim mesmo quando me sinto ansioso socialmente.

Segundo os pesquisadores, notas mais altas indicam que a pessoa entende o que passa e que está pronta para aprender a lidar com isso. Notas medianas (entre 4,5 e 5) mostram que o paciente aceitou os sintomas e está comprometido a mudar a situação. Em caso de notas abaixo de 3,5, é indicado que busque terapia.

Fonte: Revista Galileu



Tags: Dicas

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com