VALE A PENA TRABALHAR PARA UMA STARTUP?

13/07/2017

size_960_16_9_startup4

O cenário de inovação envolvendo design, UX, UI e programação, tanto no Brasil quanto no exterior, passa pelas startups. Para quem ainda não tem experiência trabalhando neste tipo de empresa, conhecer as vantagens e desvantagens pode ser bastante esclarecedor para responder a simples pergunta:  vale ou não a pena trabalhar para uma startup?

Antes de qualquer coisa, é preciso ter o perfil!

Pessoas que se dão bem nas startups, possuem um perfil, sim! Geralmente são profissionais extremamente proativos e agilizados. No exterior, fala-se muito em “fast-paced environment”, ou seja, quando você ver essas palavrinhas em uma vaga, saiba que se trata de um ambiente corporativo com ritmo acelerado, cheio de pressões, desafios e correria.

A proatividade é importante, porque no ramo de startups, não é todo mundo que tem paciência e tempo para ficar ensinando, pegando pela mão e microgerenciando cada novo funcionário da equipe. O ritmo é intenso, e é necessário ter que se virar. Se você perceber que não quer trabalhar desta maneira, significa que você não tem o perfil, o que pode ser bem frustrante.

Pensar na carreira, não no salário

Pensando em largar o trabalho estável para se jogar no mundo das startups? Pensar na carreira e não no salário é muito importante, praticamente, um “mandamento”. A variável que sempre vai existir quando se trabalha em uma startup é a instabilidade. Hoje a empresa pode ter recebido um aporte grande, mas daqui 6 meses a realidade pode ser outra e ela pode fechar as portas. É preciso ter muito sangue frio para aguentar a instabilidade.

Entretanto, em termos de carreira, você vai ter a oportunidade de trabalhar em um produto desde a concepção até o lançamento, vai ampliar a sua visão de negócios e vai engrossar a sua veia empreendedora.

Dificilmente você encontrará um “Unicórnio”

Dificilmente passará pelo seu caminho uma startup que se tornou uma empresa avaliada em mais de um bilhão de dólares, o chamado “Unicórnio”, mas isso não significa que ter uma experiência em uma startup pequena não vale nada. Esse tipo de experiência, além de ampliar a sua visão de negócios e produto, pode abrir portas para outras experiências e assim, alçar vôos mais altos. O importante é que você consiga demonstrar em seu currículo e portfólio que o seu trabalho foi útil e que foi uma experiência rica para ambas as partes.

O ambiente corporativo das startups é diferente e disruptivo. Além da vantagem de trabalhar com inovação, com produtos que podem mudar o futuro da sociedade,  você pode trabalhar em escritórios descolados, com ambiente mais flexível e despojado mas, em contrapartida, num ritmo bem acelerado.

Pesquise e procure entender o produto da startup

Você vai precisar entender e pesquisar sobre o produto que a startup vai trazer ao mercado. Qual o futuro dele? Você usaria? É importante analisar bem o produto de forma crítica antes de entrar de cabeça no projeto. Pesquise o mercado e fique de olho nas tendências do momento no ramo em que a startup está tentando se inserir.

Dependendo do tipo do produto, depois do lançamento o trabalho tende a ficar um pouco mais monótono. Ou seja, se você gosta de ação e sempre trabalhar com coisas novas, focar em agências de desenvolvimento de produtos pode ser uma excelente alternativa, pois são diferentes produtos a serem desenvolvidos sempre, e alguns podem se tornar cases de sucesso enormes.

Como se inserir na área de startups?

Pronto! Você está decidido a ir atrás de uma vaga no ramo das startups, seja aqui no país ou no exterior, aqui vai algumas dicas para você iniciar o seu caminho:

1 – Faça um cadastro no site Angelist – é uma espécie de LinkedIn das startups –  é através desse site que as startups divulgam seus produtos, suas rodadas de investimento e também vagas. Há muitas oportunidades de trabalho freelance e remoto, além de algumas posições bem convidativas. No site também é possível analisar as tendências, quais as tecnologias do momento e quais as habilidades e perfis de profissionais mais requisitados.

2 – Leia os livros “Lean Startup”, que está disponível em português com o nome “Startup Enxuta”, do Eric Ries, que deveria ser a verdadeira bíblia de todos os que estão no meio; e “Lean UX: Applying Lean Principles to Improve User Experience”, do Jeff Gothelf e Josh Seiden (esse só em inglês), focado no método de trabalho ágil para User Experience Design.

Boa sorte!

Fonte: Choco La Design.



Tags: Dicas

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com