SERÁ QUE ROBÔS VÃO ROUBAR NOSSOS EMPREGOS?

14/07/2017

Future_17

Com a inteligência artificial invadindo o mundo de hoje, é comum profissionais de todos os ramos se perguntarem se os robôs podem acabar roubando seus empregos. Pois é, aos colegas designers, dizemos: não se iludam achando que isso é o velho alarmismo do século 20, ou que você é um ser criativo demais para ser substituído. Eles podem e vão! Aliás, já estão roubando.
Pelo menos, quem afirma isso agora, é a Fast Company – autoridade em design respeitada por milhões de profissionais ao redor do mundo.A inteligência artificial já vem sendo usadas para fazer, por exemplo, o design de antenas para a NASA ou até mesmo tratar o câncer MUITO melhor que a gente e o principal motivo, é o tal algoritmo genético, uma forma de inteligência artificial cognitiva. E é isso que vai roubar o emprego de muita gente por aí.

Algoritmo Genético

Como o nome já diz, a inteligência artificial é inspirada na evolução das espécies (aquela do Darwin). Ela entra em ciclos infinitos de tentativa e erro, sempre filtrando o que melhor se adapta ao seu meio.

A consequência é simples: com uma capacidade de produção infinitamente maior que a de qualquer ser humano – e sem NUNCA ter um bloqueio criativo –, o robô pode aprender 24 horas por dia!

Mas como ela roubaria o emprego de um designer gráfico?

Usando um pouco de big data e algoritmo genético, um robô designer poderá vasculhar a internet do mundo inteiro – e descobrir o que seus 3 bilhões de usuários admiram, compartilham e acumulam.

E é mais ou menos isso que o Mark Maker – a inteligência artificial que faz logotipos – está fazendo neste momento.

Inspirada na magia do algoritmo genético, o Mark Maker faz logotipos usando uma inteligência artificial que funciona da seguinte maneira:

Você entra, e ele te dá dezenas de logos como esse:

Mark Maker: a Inteligência artificial que cria logotipos até ter o resultado perfeito (ou não, né)! 4

Em poucos minutos, a inteligência artificial evolui e vai capturando todas as nuances da sua preferência por logotipos – e ficando melhor, como você pode ver nas imagens abaixo:

designers-robos-vao-roubar-seus-empregos-fastco-logotipos-inteligencia-artificial-2
designers-robos-vao-roubar-seus-empregos-fastco-logotipos-inteligencia-artificial-3

(O primeiro quadro traz os primeiros resultados, e o segundo os últimos os mais refinados)

E o resultado são alguns logotipos absurdamente inadequados – mas outros poderiam facilmente ser o logotipo de um blog de design. Tudo que foi preciso fazer foi clicar em logotipos aleatórios que a pessoa julgava “bonito” ou que tinham um diferencial. Observe que de repente, o robô começou a fazer mais logos com duas cores, ou com uma letra especial (ou um degradê). Isso aconteceu pois foi a referência dada ao clicar nesse tipo de logotipo.

E quando isso usar big data?

Você já pode imaginar o problema: Robôs como o Mark Maker serão capazes de fazer testes em escala global (e ver os milhões de designs já feitos), descobrindo precisamente o que cada público-alvo gosta.

Um exemplo, se sua empresa foca em jovens de 15 a 25 anos que gostam de jogar Pokémon Go e andar de skate, a inteligência artificial vai procurar exatamente o gosto médio dessas pessoas e gerará resultados em cima disso, ou talvez, o resultado nem seja o gosto médio, mas sim o gosto exato.

Assim é no caso do polêmico novo logotipo da Oi, onde os robôs podem começar a fazer designs dedicados, que se adequam a cada usuário!

O novo logo da Oi MASSACRA os ignorantes (como a gente), você sabe por quê? 1

Robôs são criativos e destemidos

Imagina um algoritmo genético de design analisando um público-alvo masculino, que gosta de X e Y e ele tem a seguinte ideia: nosso design tem que ser rosa-choque. Muitos designers, não fariam ou pelo menos, sentiriam um certo desconforto, mas o robô não pensaria duas vezes! Assim, podemos concluir que os webdesigners serão os primeiros a sofrer.

As inteligências artificiais ainda não sabem como desenhar e ilustrar com lindos mascotes e elementos de apoio na sua identidade visual. Porém, criar um site sem a ajuda de um profissional já é possível. Um exemplo disso, é a Wix que já faz sites automaticamente com inteligência artificial.

Se um robô designer roubar seu emprego, o que fazer?

É óbvio que as inteligências artificiais não roubaram os empregos de 100% dos designers, mas podemos tirar algumas conclusões muito óbvias:

  1. Os sobrinhos vão morrer – O motivo é óbvio: se uma inteligência artificial puder fazer todo o meu design gráfico e de graça, por que eu pagaria a um sobrinho?
  2. Os designers medianos vão ralar – Mais confiantes do que nunca que podem fazer bom, mais rápido e mais barato, o cliente estará menos propenso a pagar 500 reais por um logotipo.
  3. Os grandes designers irão se reinventar – O segredo está aqui: os bons designers irão encontrar maneiras de provar seu valor, e isso pode ser feito “ditando as regras” para esses robôs ou virando um curador de conteúdo (que certamente serão necessários).

É muito provável que em algum momento designers ficarão olhando para um PC gerando resultados, como analistas e vendo simulações feitas por robôs, e aí então decidirão “no que investir”.

Cabe a você escolher onde ficar!

Fonte: Temporal Cerebral



Tags: Tecnologia

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com