A PIOR MANEIRA DE PEDIR UM AUMENTO SALARIAL

28/07/2017

Captura de Tela 2017-07-28 às 10.51.53
Em tempos de desemprego, pedir um salário maior, é uma ao corajoso. Pedir um aumento salarial é um momento delicado e também muito arriscado. Um erro específico na abordagem e você pode colocar tudo a perder. Mas o sucesso deste pedido, depende mais de planejamento do que de valentia.

A abordagem deve ser muito bem preparada, planejada.

Para Caio Arnaes, gerente de consultoria,“O funcionário está com pouco poder de barganha neste momento, já que há muita gente disponível no mercado disposta a ganhar menos”. Ou seja, se você está insatisfeito com o que recebe, existem muitos candidatos que não estariam.

E é por isso, por conta desse cenário, que uma conversa sobre um assunto que sempre foi difícil acaba se tornando muito perigosa.

Pedir um salário mais alto pode ser facilmente mal interpretado pelo empregador e, até gerar uma demissão, a não ser que você fundamente muito bem sua solicitação.

Os aumentos costumam ser concedidos em duas situações:

1 – Como “reparação”, ou seja: você já cumpre funções de um nível hierárquico superior ao seu há algum tempo, mas ainda está com o seu cargo antigo. Nesse caso, a promoção e o aumento vêm como forma de alinhar a sua remuneração à sua situação atual.

2 – Mérito. Se você traz resultados acima da média ou fez alguma ação que gerou uma redução de custos ou um importante ganho para a empresa, é natural pedir reconhecimento por isso.

Mas, lembre-se: Tanto em um caso quanto em outro, é preciso ter dados objetivos para sustentar o pedido e reforçar a sua intenção em continuar no emprego. Também é importante dizer que você gosta de trabalhar naquela empresa, que tem intenção de permanecer.

Mas, e qual seria a pior  forma de abordagem?

Para os especialistas, a forma mais perigosa de solicitar um salário mais alto é atrelar a decisão da empresa à sua permanência no cargo. Algo como: “Ou vocês me dão o aumento, ou me demito”.

Esse tipo de abordagem, é mais comum do que parece, e suas consequências podem ainda piores do que você imagina. É provável que o empregador se sinta acuado e não ceda à pressão. E pior: mesmo que ele conceda o aumento como solução temporária, caso a sua função seja imprescindível para a empresa, é possível que comece a procurar o quanto antes um substituto para você. Afinal, a relação de confiança terá sido quebrada.

Esse tipo de ultimato, dá a entender que você só está interessado no emprego por causa do salário – não que a remuneração não seja uma contrapartida legítima do seu trabalho — mas é esperado que ela não seja a única razão para ficar ou ir embora.

Dar um “xeque-mate” no empregador é mostrar que você não está realmente interessado nos objetivos e valores de uma empresa em particular, e que prefere leiloar o próprio trabalho.

E esse tipo de funcionário, movido exclusivamente a dinheiro é a última coisa que as empresas desejam e precisam. Pense bem antes de tomar essa atitude!

Fonte: Exame



Tags: Dicas

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com